O que significa “moderno”? (parte I)

Uma das palavras mais utilizadas no campo das Humanidades e das Letras é o adjetivo “moderno”. Fala-se abundantemente de literatura moderna, de mentalidade moderna, de cultura moderna. Mas o que realmente quer dizer este termo? O que é a modernidade? Começo hoje a publicar uma minha reflexão sobre o assunto, dividida em partes, sem pretenções definitórias absolutas ou de esgotar o tema, mas apenas para levantar algumas questões que me parecem interessantes.

Eis a primeira parte, relativa à vertente etimológica.

A palavra “moderno” vem do latim modernus, “há pouco”, “presentemente“, estando relacionada com modus, “medida”, “limite”, “termo”, principalmente referido aos “limites do tempo presente“.

As sugestões mais imediatas, dadas pela etimologia, têm portanto a ver com a quantificação e a temporalização. Segundo esta linha de pensamento, “moderno” é sempre, de alguma maneira, finito, temporâneo, relativo ao tempo presente, isto é, relativo a hoje.

Além disso, esta etimologia abrange também a ideia de “modo” e “medida” enquanto regra, método, sistema, também no sentido de maneira costume.

Embora a etimologia não seja o único elemento que permite compreender uma palavra, é útil ter em consideração estas primeiras sugestões para o avanço da presente reflexão.

(continua)

Anúncios