Fernando Pessoa, Omar Khayyām e a Civilização Islãmica

 

Assinala-se a participação de Fabrizio Boscaglia na Exposição Orientalismo Português: Textos e Contextos (1850-1950), a decorrer de 11 a 22 de Outubro de 2011, organizada pelo Centro de Estudos Comparatistas da Universidade de Lisboa.

A exposição contem imagens da biblioteca particular de Fernando Pessoa, comentadas por Fabrizio Boscaglia:
Fernando Pessoa, Omar Khayyâm e a Civilização Islâmica
Fernando Pessoa estudou elementos da civilização islâmica ao longo de cerca trinta anos. A figura da cultura islâmica que mais o atraiu foi a de Omar Khayyām, sobretudo no que diz respeito à tradução dos poemas deste para inglês, feita por Edward FitzGerald no séc. XIX. Pessoa dedicou ao sábio persa uma parte da obra ortónima, provavelmente entre 1926 e 1935.
Pessoa, por volta de 1915-1916, também estudou alguns aspectos da civilização islâmica que confluíram na elaboração do Neo-Paganismo e do Sensacionismo. O poeta-pensador reflectiu em pelo menos dois aspectos da doutrina e da filosofia islâmica: a submissão ao Divino e o determinismo. Também encontrou estes temas na obra de Khayyām e reelaborou-os nas suas rubā‘iyyāt ortónimas. Contextualmente ao interesse sobre Khayyām, Pessoa também se dedicou à leitura de poemas Sufis de outros autores, entre os quais Rūmī e Hāfiz.
Anúncios