Agostinho da Silva e Islão, em «Redenção e Escatologia»

Foi publicado pela editora da Universidade Católica o terceiro volume, tomo primeiro da monumental obra Redenção e Escatologia – Estudos de Filosofia, Religião, Literatura e Arte na Cultura Portuguesa. Coordenado por Samuel Dimas, Renato Epifânio e Luís Loia, o livro contém o ensaio «Agostinho da Silva, o Islão e o Quinto Império», da autoria de Fabrizio Boscaglia.

Mais informações e encomendas: http://www.uceditora.ucp.pt/site/custom/template/ucptpl_uce.asp?SSPAGEID=2942&lang=1&artigoID=4849

«Neste estudo tentamos mostrar que, no que respeita à representação, receção e interpretação do Islão, Agostinho da Silva foi autor fecundo, original, polifacetado e apesar de coerente, para além de sem dúvida relevante, considerado o foco e o legado espiritualista e civilizacional do seu pensamento, que não negligenciou incursões sobre a religião monoteísta pregada por Muḥammad (Maomé, 570-632).

Durante décadas, como veremos, o filósofo portuense foi, em relação ao Islão, um observador, leitor e pensador atento e interessado. Atitudes, estas, que fizeram dele um pioneiro na divulgação do Islão em Portugal na contemporaneidade, um acolhedor da mensagem islâmica no seio da espiritualidade universal, um admirador da mística islâmica e da sociedade do al-Andalus, um amigo da Comunidade Islâmica de Lisboa, sem deixar de ser um comentador, respeitoso e ao mesmo tempo crítico, da própria civilização islâmica.»

Fabrizio Boscaglia, «Agostinho da Silva, o Islão e o Quinto Império», in Samuel Dimas, Renato Epifânio, Luís Loia (coords.), Redenção e Escatologia – Estudos de Filosofia, Religião, Literatura e Arte na Cultura Portuguesa, vol. III, tomo 1, Lisboa, Universidade Católica Editora, 2019, p. 586.

20190827_121647.jpg

 

Anúncios